quinta-feira, 24 de julho de 2008

Vou embora prá Parságada...lá, eu sou Rainha!

Debaixo da pontezinha vermelha, passa um riacho de águas claras que refrescam o laguinho encantado , cheio de peixes que se esfregam uns nos outros num frenezi amoroso, numa corrida louca contra o tempo prá que a reprodução seja bem sucedida antes do tenebroso inverno que se aproxima.

É o tempo do sol, da vida, das flores e dos frutos.

Na horta, os tomates se enroscam nos pepinos e alegremente, produzem doces e saudáveis manjares, para o meu deleite de quase vegetariana. Tudo orgânico, do jeitinho que minha Vó Mimi fazia.




O portal vermelho dá as boas vindas e convida o visitante a passear pelo o pequeno reino de OZ.
É o caminho das flores, das cores, dos amores, dos vasos e dos deuses.

















Deuses de todos os cantos do mundo...










Da serenidade do meditativo Buda,




Passando pela força Azteca...

E aprendendo com a sabedoria de Confúcio.



É a harmonia das partes, tendo como objetivo a perfeição do todo.







Tanto da arte da natureza...


















Quanto da arte do homem.




Desde os cactos nórdicos até as flores mais atraentes do Velho Mundo.
Tudo isso num pequeno jardim ,de uma pequena cidade, feito por uma jardineira modesta que tanto ama a Natureza e tenta comungar com ela.
Veja os vídeos do lago, da horta e da frente da casa.

video video video

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Que Pai é Esse...Tão Belo?

Mais um poeta da família que faz uma homenagem ao nosso querido pai que transcendeu o mundo dos homens e foi brincar com os passarinhos de Deus.
É o primogênito, o filho primeiro,meu irmão querido, que derrama suas lágrimas sobre o papel e mostra as emoções da saudade, das memórias guardadas a sete chaves e do amor a um Pai tão belo e simples como o canarinho da terra que ele amava tanto.
Obrigada irmão por compartilhar conosco seu cantinho da saudade.


MEMÓRIAS DO SAUDOSO BIDA

Por Zirnaldo Rocha


(1ª Parte)

(As lembranças são diferentes: elas partem do último ponto para trás, do presente para o passado... Nossas lembranças do Bida, como seus filhos, partem da sua morte para os começos, da última imagem que vimos dele, das lembranças saudosas até chegar às origens da história – da nossa história de filhos e do pai maravilhoso que tivemos)...





O MEU ADEUS À DISTÂNCIA, A ÚLTIMA PÁGINA:
“QUE PAI É ESSE... TÃO BELO?”


Ah! Bida você não me avisou que estava tão mal de saúde e que iria morrer...
Mas, eu o compreendo e o perdôo
– eu estava tão longe
e a sua voz tão fraquinha, não foi?

Meus olhos não pousaram em você pela última vez,
não pude abraçá-lo como filho mais velho,
não pude ouvir as suas últimas palavras,
Não pude dizer: ‘até logo pai’,
nem orar com o senhor,
nem pedir-lhe a bênção pela última vez
e ouvir você dizer – tão lindo:
“Deus te dê boa sorte, meu filho”!


Ah! Pai, como as lágrimas correram abundantes em meus olhos,
neste adeus à distância,
como o meu coração reclamou!
– Mas, eu estive aí depois,
visitei o seu quarto,
vi a sua foto comigo e alguns outros irmãos,
orei agradecendo a Deus por sua vida,
por sua dedicação a nós,
seus filhos, sempre amados e protegidos...





Ao final da minha oração ali no seu quarto,
a minha emoção foi tão linda...
Foi como se eu ouvisse o seu amém,
contemplasse o seu satisfeito sorriso,
e ouvisse a sua voz carregada de amor
ao abençoar-me, dizendo-me:
“Deus te dê boa sorte meu Filho”!

Ah! pai, como valeu a minha ida aí para vê-lo,
mesmo sem a sua presença física,
estar com você alguns momentinhos,
só nós dois,
e Deus abençoando o nosso encontro,
o nosso último diálogo
como pai e filho primeiro...

Adeus pai, até breve,
a sua lembrança estará sempre conosco,
a sua memória nunca se apagará do nosso coração...

sábado, 5 de julho de 2008

O Derrame e o Nirvana

Eu ouvi um podcast da Itunes ontem que me chamou a atenção, tanto no lado científico quanto espiritual. Era a história e experiência científica - mística da Dr. Jill Bolte Taylor.



Ela se formou em Medicina em Harvard e se especializou em Neuroanatomia, ou seja, anatomia do cérebro, porque tinha um irmão esquizofrênico e queria entender o cérebro dessas pessoas.

Por ironia do destino, ela teve um derrame e ficou com o lado esquerdo do cérebro danificado. Entretanto, ela não só se recuperou do derrame mas espalhou pelo mundo sua experiência única através do livro "My stroke of insight",





creio que ainda não traduzido para o Português, e com isso, foi eleita uma das 100 pessoas mais influentes do planeta, pela revista Time Magazine.


Segue o vídeo em Inglês de uma de suas palestras e a tradução para o Português.


Leia e reflita, pois há "mais mistérios entre o céu e a terra que sua vã filosofia possa explicar"...

Se domina o Inglês, assista a entrevista dessa mulher fantástica no site de Oprah.



O site oficial da Dr Jill: http://drjilltaylor.com/index.html

ClickComments