sábado, 2 de janeiro de 2010

Medicina Chinesa

Há mais de cinco mil anos (3.000 anos de registros escritos e mais de 2.000 com achados arqueológicos) os chineses utilizam a acupuntura como meio para a cura e tratamento de diversos males. A técnica consiste em encontrar a harmonia do corpo e da mente através de canais, conhecidos como “meridianos de energia”, que percorrem todo o corpo. O tratamento é feito através da inserção de finíssimas agulhas em determinados pontos dos canais, que são chamados de “pontos da acupuntura”. A estimulação desses pontos permite a ativação ou sedação da energia que circula ao longo desse meridiano. Durante muito tempo a acupuntura foi vista com desconfiança por pacientes e médicos adeptos da medicina ocidental. Hoje em dia a situação é bem diferente. Cada vez mais pessoas procuram a acupuntura para tratar os mais variados problemas. E os médicos, antes receosos, hoje indicam a acupuntura como complemento no tratamento de diversas doenças. A mudança de comportamento se deve aos resultados positivos que comprovam a eficácia da técnica chinesa na cura e tratamento de diversas enfermidades.




É claro que o sucesso no tratamento depende de vários fatores, entre eles a escolha de um profissional de credibilidade e que esteja apto a praticar a acupuntura. Geralmente associado a uma instituição de referência.

Por estar passando por um momento de  estresse devido a doença na família, procurei um profissional dessa área para amainar  os efeitos nocivos decorrentes dessa situação. Foi me indicada uma acupunturista chinesa, com bastante experiência. Logo na primeira visita, o alto astral dela e a segurança que demonstrava foi o suficiente para estabelecer uma confiança e me entregar a essas mãos delicadas e, acredito que,  milagrosas.


Como funciona ?



Mas como pode uma agulha inserida em alguma parte específica do corpo curar uma dor de cabeça, uma dor nas costas ou até mesmo um transtorno psíquico? Na prática, a acupuntura funciona assim: são colocadas finíssimas agulhas em determinados pontos do corpo, que ativam no cérebro a produção de substâncias que atuam como analgésicas, antiinflamatórias e antidepressivas – como a endorfina, o cortisol e a serotonina, respectivamente. Ao entrar na pele, a agulha provoca uma microinflamação, que aciona a produção natural dessas substâncias. Desta forma, a resposta do organismo é mais rápida, diminuindo de vez a intensidade dos sintomas. Muitas vezes, fazendo-os até desaparecer.


Como entender a acupuntura ?


Os princípios da acupuntura se baseiam na energia vital, Qi (pronuncia-se “chi”), que está distribuída pelo corpo, e seus aspectos antagônicos: o negativo Yin e o positivo Yang. Os chineses crêem que qualquer pequeno desequilíbrio que ocorra nessas forças provocaria distúrbios físicos e psicológicos. Com a introdução das agulhas em pontos específicos do corpo, a harmonia é restabelecida, dando fim às doenças. É uma concepção um pouco mística, mas os resultados são tão palpáveis que a acupuntura, hoje, é reconhecida como especialidade médica pelo Conselho Federal de Medicina e a Associação Médica Brasileira.


A acupuntura e a medicina ocidental



Durante muito tempo os pacientes só procuravam um acupunturista após tentar diversos tratamentos da medicina tradicional sem sucesso. Hoje em dia é cada vez maior o número de pessoas que procuram a acupuntura como prevenção, para resgatar o equilibro do organismo, evitando assim o aparecimento de doenças. No Brasil a acupuntura é reconhecida como especialidade médica pelo Conselho Federal de Medicina e por outros conselhos da área médica desde 1995. Pesquisas baseadas nos resultados positivos dos tratamentos fizeram aumentar ainda mais a credibilidade da acupuntura por parte da medicina tradicional. Seu reconhecimento faz com que hoje em dia médicos indiquem a acupuntura como tratamento alternativo e complementar de diversas doenças. A utilização dos recursos comprovadamente eficazes da medicina tradicional chinesa contribui, e muito, para o bem estar e melhoria da qualidade de vida das pessoas em todo o mundo.


Doenças tratadas

A acupuntura pode atuar com sucesso em diversos tratamentos, seja como terapia complementar ou como tratamento principal. A lista a seguir, divulgada pela OMS (Organização Mundial de Saúde) pretende facilitar os usuários através dos nomes da medicina convencional, embora os problemas precisam ser diagnosticados dentro da visão da medicina chinesa para receber melhor sua abordagem de tratamento:


Vias Aéreas Superiores: rinite e sinusite, faringite e amigdalite agudas e crônicas sobretudo de natureza alérgica.

Sistema Respiratório: bronquite aguda e asma brônquica.

Perturbações oculares e da boca: conjuntivites, dor de dentes, gengivites



Distúrbios funcionais gastrointestinais e ginecológicos: espasmos do esôfago, soluços, náuseas e vômitos, gastrites agudas e crônicas, diarréias crônica e constipação, colites inespecíficas, cólon irritável, tensão pré-menstrual e cólicas menstruais.



Distúrbios funcionais neurológicos: cefaléia tensionais, enxaquecas, nevralgia do trigêmeo, paresias subsequente de isquemias cerebrais, paralisias faciais na fase inicial, neuropatias periféricas com deficit motor ou alterações sensitivas, doenças de Méniere, vertigem e zumbido por labirintopatia, enurese noturna na infância e incontinência.



Distúrbios musculares, tendinosos, articulares e esqueléticos: sindrome cervicobraquialgias, torcicolo, processos leves de traumas como contusão e entorses, algias do ombro, cotovelo e punho, dores lombares de origem muscular, dores ciáticas, dores coxo-femural e do joelho, tornozelo e dos pés, alívio de processos de osteoartrites de origem reumáticas e processos dolorosos do osteoartrose em geral, lesões inflamatórias resultados do trauma ou esforços repetitivos, fibromialgia, dores pós operatórias e reabilitação pós imobilização.



Dependência Química: A acupuntura é muito eficiente no tratamento da dependência química. O resultado depende de cada caso, cada paciente. Mas em média é possível em três sessões semanais, durante o período de três meses, desintoxicar a pessoa e deixá-la em abstinência das drogas. O tratamento é confirmado por estudos e pesquisas científicas internacionais e atinge um índice de 80% de cura.


DÚVIDAS FREQUENTES



QUANDO COMEÇAR O TRATAMENTO?

De preferência logo no início dos sintomas. Quanto mais recente o problema, maior e mais rápida a possibilidade de resolvê-lo exclusivamente com acupuntura. O lado preventivo da acupuntura é a sua parte nobre e consiste na possibilidade de impedir que a doença se manifeste em sua plenitude.



PODE-SE MISTURAR OUTROS TRATAMENTOS COM A ACUPUNTURA ?

Sim. Não é proibido associar a acupuntura a outros tratamentos. Psicoterapia, fisioterapia, homeopatia, tratamento alopático e muitos outros, geralmente tais tratamentos são beneficiados pela associação com a acupuntura, ocorrendo desde a aceleração e a facilitação de processos terapêuticos até a redução das doses dos remédios utilizados.



QUAIS OS EFEITOS COLATERAIS DA ACUPUNTURA ?

Alguns pacientes podem se sentir relaxados demais após a sessão. Em certos casos pode ocorrer a piora inicial dos sintomas, que geralmente é seguida pela melhoria da condição do paciente. Pontos muito sensíveis podem se tornar doloridos se manipulados em excesso, porém o endolorimento resultante tende a melhorar com o passar do tempo.



ACUPUNTURA PODE TRANSMITIR DOENÇAS?

Não, porque todas as agulhas utilizadas devem ser individuais, estéreis e descartáveis, o que torna seguro o tratamento.



COMO É UMA SESSÃO DE ACUPUNTURA?

Na primeira consulta busca-se estabelecer o diagnóstico da disfunção energética do paciente, dentro da visão oriental dos problemas de saúde. Os pontos são selecionados de acordo com um diagnóstico. Após a limpeza da pele com álcool à 70%, as agulhas descartáveis são inseridas (e deixadas no local), sendo retiradas depois de um período que pode variar de 15 minutos a 1 hora.



AS AGULHAS FICAM NA PELE APÓS A SESSÃO?

No caso da auriculoterapia sim, as agulhas permanecem por até cinco dias na orelha e são cobertas com micropore (fita adesiva não alérgica). Já as agulhas sistêmicas (corporais) são retiradas logo após as sessões.



EM QUE PRINCÍPIOS SE BASEIA A MEDICINA TRADICIONAL CHINESA?



De acordo com a medicina chinesa, o tratamento através da acupuntura visa à normalização dos órgãos doentes. Segundo a teoria da Acupuntura, todas as estruturas do organismo se encontram originalmente em equilíbrio pela atuação das energias Yin (negativas) e Yang (positivas). Por exemplo: pelo princípio de Yin e Yang pode-se explicar os fenômenos que ocorrem nos órgãos através dos conceitos de superficial e profundo, de excesso de deficiência, de calor e frio. Desse modo, se as energias Yin e Yang estiverem em perfeita harmonia, o organismo, certamente, estará com saúde. Por outro lado, um desequilíbrio gerará a doença. A arte da Acupuntura visa, através de sua técnica e procedimentos, estimular os pontos reflexos que tenham a propriedade de restabelecer o equilíbrio, alcançando-se, assim, resultados terapêuticos.

Associada à acumputura, estou usando também a Moxa prá melhorar a distribuição da energia vital e mante-la mais nos membros inferiores, indicada para pessoas que já atingiram a menopausa.

O que é Moxa?

A Moxabustão, ou moxa, vem da palavra japonesa “mokusa”, que significa "erva queimada". Foi registada pela primeira vez em textos médicos durante a Dinastia Song (960 d.C.), mas provavelmente foi usada por muito mais tempo.


É uma terapia importante na Medicina Tradicional Chinesa; os textos antigos diziam que a moxa deveria ser usada se a acupuntura e as ervas não funcionassem na cura da doença.

O calor da Moxabustão é extremamente penetrante, tornando-a eficaz quando há menos circulação, condições frias e húmidas, além de deficiência do yang. Quando aplicada aos pontos de acupuntura específicos à deficiência de yang, o corpo absorve o calor o máximo possível, recuperando o Qi do yang do corpo e o "fogo ministerial", a fonte de todo o calor e energia do corpo.


A moxa é preparada a partir da artemísia (Artemisia vulgaris), uma erva perene comum. As folhas aromáticas são secas e peneiradas várias vezes até que fiquem macias.

Existem duas técnicas de aquecimento para a aplicação da Moxabustão: a moxa indirecta e a moxa directa.


Moxa indirecta

Na moxa indirecta, a "lã da moxa" é enrolada em forma de um longo cigarro e embrulhada em papel. A moxa é, então, acesa e mantida cerca de 2,5cm de distância da área desejada - um ponto de acupuntura ou outra área do corpo escolhida pelo profissional. A moxa indirecta pode ser usada nos pontos de acupuntura para se ter um efeito sistémico, ou no corpo todo, ou pode ser utilizada directamente no local do problema.







Por exemplo, a moxa indirecta pode ser aplicada a uma região inchada e dolorida, como uma articulação com artrite. Também é apropriado aplicar calor indirecto em pontos de acupuntura específicos, como o zusanli (estômago 36) ou mingmen (duodeno 4), para criar um efeito sistémico. O calor colocado nesses pontos aumenta o metabolismo e a imunidade do corpo, de modo que a Moxabustão, nesses pontos, também pode ser usada como um cuidado preventivo.

Um texto antigo afirma que "a pessoa que aplica a moxa diariamente ao zusanli (estômago 36) estará livre de uma centena de doenças".

A aplicação de moxa ao estômago 36 possui um efeito energizante no corpo, especialmente em relação às funções digestivas e imunológicas. O seu uso, na medicina chinesa, é indicado às vezes para o tratamento de debilidades em geral, anemia, indigestão, náusea, fadiga crónica, choque, alergias, e asma. Pesquisas modernas confirmaram que o sistema imunológico é estimulado quando o ponto recebe a moxa.


Foi indicada prá mim, uma aplicação diária de moxa na região do tornozelo e do joelho, diariamente, uns 10 minutos à noite. Vou tentar faze-lo o melhor possível e esperar pelos resultados.

Acho que a medicina chinesa é mais uma alternativa prá aqueles que buscam uma vida mais natural, equilibrada com o todo e com menos pílulas tradicionais tão cheias de efeitos colaterais.



Prá saber mais: http://pt.wikipedia.org/wiki/Acupuntura

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ClickComments